Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Horas Vagas

Horas Vagas

Quando foi a última vez que receberam um elogio?*

30.01.19

Acho que vivemos numa sociedade demasiado competitiva, crítica e invejosa. É tão mais fácil apontar o dedo do que ter uma palavra amiga, já repararam nisso? Talvez por isso, uma pessoa lide melhor com uma crítica, que é o prato do dia e aprende desde cedo a ignorar, do que com um elogio. E nesta onda negativa, uma pessoa também acaba por ser mais crítica consigo mesma, sempre a tentar melhorar, que nem repara ou valoriza o que tem de bom. Mas, felizmente, ainda existem pessoas queridas (para além dos nossos maridos e famílias) que nos apoiam e reforçam o que temos de melhor, afirmando que acabamos por ser uma inspiração para elas (que não é de todo o meu propósito).

 

Cuidar mais de mim. Tenho sido apoiada e elogiada por arranjar força de vontade para cuidar mais de mim (falo das minhas idas ao ginásio), mesmo com um filho pequeno. Faz-me bem. Fisicamente e mentalmente. E isso deve-se notar que já inspiramos mais alguém a juntar-se ao "nosso clube".

 

Ser descomplicada (para mãe de primeira viagem). Quando passamos por situações muito complicadas (o nascimento prematuro do pequeno), só nos resta uma opção: descomplicar, para bem da nossa saúde mental. Ao contrário do que seria de esperar, não nos fechamos numa redoma, não deixei de conviver, sair ... Como sempre ouvi o lado "negro" da maternidade (ainda estou para descobrir como nasceu a vontade de ser mãe com tantos testemunhos negativos!), já estava mentalmente preparada para o pior. É claro que uma coisa é nós imaginarmos, outra é passar por elas, mas, felizmente, calhou-me um menino bonzinho na rifa e até foi uma adaptação calma.

 

Viajar com o pequeno. Devido aos tais testemunhos negativos, pensei que a nossa vida social terminasse com o nascimento dele, mas, no nosso caso, vimos que não fazia sentido abdicar das nossas rotinas por causa dele, nem deixa-lo para trás nas nossas aventuras. Ele veio para fazer parte da nossa vida e nós queremos curtir a vida ao máximo com ele. É claro que viajar a dois é diferente do que viajar a 3, 4 ... mas tudo é possível.  Lá está, há que descomplicar. E é bom ver outros casais a fazer o mesmo.

 

Ser assertiva. Acho que foi o melhor elogio que recebi até hoje, ainda para mais vindo de quem veio - uma pessoa muito exigente.

 

É bom receber este tipo de elogios, de saber que ainda existe pessoas amavéis, mas lembrem-se, cada um deve inspirar-se na sua própria vida, em si mesmo, não é só os outros que têm coisas boas. Vida saudável não passa só pela prática de exercicio fisíco e alimentação saudável, mas também pela forma como nós nos vemos (e aos outros).

 

E com isto fica a minha última pergunta: qual foi a última vez que se elogiaram? (Talvez esteja na hora de reconhecermos o nosso valor)

 

* post guardado em rascunho, no seguimento "do que ficou por dizer em 2018".

Apetece-me hibernar.

29.01.19

Já não me lembro da última vez que fiquei doente com vontade de hibernar. Sou pessoa de alergias várias, já aprendi a viver com isto, mas desta vez a coisa bateu forte e feio. Já estou a medicação, espero sentir-me melhor nos próximos dias porque esta é a parte chata de ser mãe a tempo inteiro, não poder dar-me ao luxo de adoecer. Por outro lado, é bom ter dois homens a cuidar de mim (quando o pequeno não se lembra de fazer moche para cima de mim!).

 

Tenho aproveitado esta fase mais caseira e molenga para devorar filmes e séries e pôr a escrita em dia. Há uns tempos a equipa Sapo lançou o desafio "o que ficou por dizer em 2018" - post's que ficaram por publicar - e tenho ali uns quantos à espera de ver a luz do dia, ando a organizá-los. Também ando a pensar numa espécie de rubrica de inspirações. E um novo esquema de fazer o balanço mensal. E novas medidas de organização cá para casa. E novos planos para o futuro próximo ... Estar parada dá nisso.

Pág. 1/3